Wednesday, April 06, 2005

Blue

9 Comments:

Anonymous Freeza said...

Uncle Bob fico um pouco triste com este Blue. Estava a espera de algo mais quente. Quer dizer… também se pode dizer que quente é o que está a traz do azul.
Até já! A ver se não chego atrasado á aula.

8:58 AM  
Anonymous ops... another me said...

apesar de azul, de frio não tem nada!
umas pernas que se cruzam e que provocam uma vontade danada de verificar a qualidade da ganga... pois não vão elas (as calças) magoar algo tão precioso....

9:39 AM  
Blogger virginia_pinhao said...

Blue, “pigmento” número três.
Este sim o último a tocar e a sentir a terra, com uma sensibilidade e delicadeza que só ele conhece.
Vem agora, porque se perde em linhas e curvas, tornando-as a “vida” vivida no momento… ao segundo.
Esta cor é calma, inteligente, coerente, amável, atenciosa e amada.
É a cor do “imenso” céu.
É a cor “power” do néon.
É a cor que faz “pessoas” felizes ***

10:05 AM  
Blogger Tiago R. said...

Terminada a saga RGB, é tempo de publicar a do CMYK.
Cores fáceis de encontar na roupa das miúdas ou em qualquer loja Bershka.

12:25 PM  
Anonymous Anonymous said...

Elegia uma imagem mais Blue Veltet...
Nocturna,silenciosa e introspectiva...

R.

2:58 PM  
Anonymous Anonymous said...

mais Blue Velvet...

R.

3:00 PM  
Blogger bluejohn said...

De frio não tem nada, de quente se torna, de quente se transmite, pelas longas curvas se perde, pela imensidão das linhas espera.
Não é uma cor de palavras, mas sim de sentimentos, de toques, de emoções, de silêncios, és assim, assim o és.

“azul é uma figuração tangível do espaço infinito"
Yves Klein

11:20 AM  
Anonymous Anonymous said...

'e o céu era de um assombro infinito. e a noite um milagre'

-.-

12:34 PM  
Blogger bluejohn said...

"Esta cor tem sobre o olhar um efeito estranho, quase indizível. Ela é energia feita de cor... Ela estimula a calma simultaneamente. Tal como vemos o céu e as montanhas, ao longe, como sendo azuis, uma superficie azul parece afastar-se à nossa frente. Da mesma forma que nos comprazemos a seguir algo agradável que nos foge da vista, também não resistimos a contemplar o azul, não porque ele se nos imponha, mas porque nos sentimos atraídos por ele."

Johann Wolfgang Von Goeth, Farbenlehre,
1810

10:20 AM  

Post a Comment

<< Home

Site Meter