Saturday, August 12, 2006

camera obscura

7 Comments:

Anonymous Fabs Costa said...

Olha o "passarinho"...
Clik

9:21 PM  
Anonymous Fabs Costa said...

E então?

Hum?...

Férias?...

12:10 PM  
Blogger particula-RG said...

Parece que bloqueou dia 12...

Ai!

6:43 PM  
Blogger Dr. Cunillingus said...

Porque é que camera não está escrito câmara? É propositado?

8:49 AM  
Anonymous Mafalda Veiga said...

Outro dia que amanhece

São braços, abraços estreitos
Gente que vai e que vem
Gente parada a ver passar

São as imagens das viagens
De quem foi pra muito longe
De quem só sonhou um dia lá chegar

São navegantes em terra
Com a alma a velejar
São os soldados sem guerra
Que atiram contra fantasmas
Que não podem alcançar
Que não vão poder matar

Nas ruas ficam as marcas
Da coragem e do medo
Nas sombras da madrugada
Há quem fuja ao seu degredo
E grite a negro nas paredes

São braços, abraços estreitos
Que se dão ou que se vendem
Nos atalhos da má sorte
É a vida a contorcer-se
Ao sabor da multidão
É a falta de coragem
Que mata mais do que a morte
Mata antes de se morrer

São navegantes rio acima
Rua abaixo sem um norte
É gente de pouca idade
Que aprendeu cedo a saudade
Do amor e de outra sorte

Nas ruas ficam as marcas
Do que alegra ou entristece
O grito de quem se cala
Quando outro dia amanhece
Outro dia que amanhece nas ruas

1:52 PM  
Blogger bluejohn said...

Oh Shrª poetisa malfalda de onde apareceu? De alguma camera obscura?

10:08 PM  
Anonymous Maf.V said...

Da cor da fogueira, nº6, outro dia que amanhece.

Perquè?

3:16 PM  

Post a Comment

<< Home

Site Meter